Resignação nua e violenta

Resignação nua e violenta: Fevereiro 2012

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

A mutação da Ave

Raia o sol na terminação da ave adormecida
Trajada a negro quente por largar a terra fria.
Possui um lascivo bater duramente intenso
Qual ave possuída, entregando-se aos deuses.
Esbracejou
O sereno arfar aberto traía-lhe os lábios secos
(Só queria tê-la nos braços e dar-lhe de beber).
Tal excitação infectou-me, conferindo-me tesão
Intensificante criatura persegue o desejo a sua alma.
Voou
Faleceu suspensa em brilho sobre os homens
E o preto ficou branco de um erotismo pagão.
A leveza da liberdade finalmente pertence ao seu corpo
Metamórfica criatura plana sobre um mundo enxuto.
Pousou
Evidencio nela o cálice de um olhar curioso e sem medo
Animal erótico que santificou a sua antropologia.
Estimulaste a sorte do meu ser indomesticável
Que irá justaposto ao teu corpo
 - Trepar num brinde outro Céu.