Resignação nua e violenta

Resignação nua e violenta: Maio 2011

terça-feira, maio 10, 2011

Sudário de amor

Retiro da carne a emoção contida.
Descalço-a num frémito
Êxtase e sirvo-a rasgada.

Ela, desnuda foi ao teu encontro
Inlânguida criatura viva,
Numa dança de prazer sensual

Tomas o álcool forte nela contido.
Destapas a lápide-neblina;
Manto de angústias de amor.

Serpenteias nua nos teus espinhos
Unindo a boca e
Venenos em vorazes desejos

Descompassados perpetuam-se ofegantes
Predadores, presas e parasitas
Divinos e eternos amantes.